quarta-feira, 14 de junho de 2017

Senado retira nome de Aécio Neves do painel de votações


BRASIL - Brasília - BSB - PA - 14/06/2017 - PA - O Painel do Plenário do Senado Federal Não aparece mais o nome do Senador Aécio Neves (PSDB-MG) afastado de sua funções mais a sua cadeira do plenário continua com a plaquinha com o seu nome. O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin proibiu Aécio Neves (PSDB-MG) de exercer as funções de senador após a divulgação da informação de que ele teria pedido R$ 2 milhões aos donos da Empresa JBS. no Plenário do Senado Federal. Foto: Aílton de Freitas /Agência O Globo. - Ailton de Freitas / Agência O Globo



O Globo


O nome de Aécio Neves (PSDB-MG), afastado do Senado por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), foi retirado do painel de votações nesta quarta-feira. O presidente da Casa, Eunício Oliveira, disse que a medida foi tomada para que não gere dúvidas sobre o cumprimento da decisão.

— A Mesa não descumpriu a decisão da Suprema Corte. Estava bloqueado, agora está apagado para que não gere nenhum tipo de duvidas — disse Eunício.

O presidente do Senado voltou a afirmar que está cumprindo a decisão.

— Não são verdadeiras informações de que não foi cumprida decisão – afirmou.
Fachin negou pedido de prisão de Aécio feito pela Procuradoria-Geral da República, mas determinou seu afastamento do cargo. O procurador-geral, Rodrigo Janot, recorreu da decisão, classificando a prisão de Aécio como “imprescindível” para a garantia da ordem pública e da instrução criminal, diante de “fatos gravíssimos” que teria sido cometidos pelo parlamentar.

A referência de Janot foi à delação de Joesley Batista, dono da JBS, na qual o empresário entregou uma gravação em que Aécio pede R$ 2 milhões para, supostamente, pagar a defesa dele na Lava Jato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário