sexta-feira, 30 de junho de 2017

Em resposta ao pedido de prisão de Aécio, STF devolve mandato do mineiro no Senado. É o acordão para salvar Lula e outros corruptos

Senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) - 05/08/2015
Senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) - 05/08/2015 (Cristiano Mariz/VEJA)
Veja

Relator reverteu decisão anterior, que impedia que tucano exercesse o cargo de senador, por conta das acusações contra ele feitas por Joesley Batista


O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu autorizar o retorno do senador Aécio Neves (PSDB-MG) ao exercício do mandato parlamentar. Ele atendeu a um agravo regimental protocolado pelo advogado de Aécio, Alberto Toron, e pediu que seja notificado o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), para que sejam tomadas as providências relativas à decisão.
O tucano estava afastado do mandato há um mês e doze dias, desde quando foi deflagrada a Operação Patmos, que prendeu a irmã e o primo do senador, Andrea Neves e Frederico Pacheco, com base na delação premiada do empresário Joesley Batista, do grupo JBS. Em gravação entregue por Joesley à Procuradoria-Geral da República (PGR), Aécio pede ao empresário dois milhões de reais, que, na denúncia formulada pelo Ministério Público, seriam valores oriundos de propina.
O tucano, que também se licenciou da presidência do PSDB, justifica o áudio alegando que se trata da tentativa de venda de um apartamento para o sócio da JBS. Na semana passada, o STF autorizou a ida de Andrea Neves para a prisão domiciliar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário