sexta-feira, 23 de junho de 2017

PF conclui que não houve edição em áudio de diálogo entre Temer e Joesley

AGUIRRE TALENTO E DIEGO ESCOSTEGUY - Epoca


O laudo pericial da Polícia Federal concluiu que não houve edição ou manipulação na gravação feita pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, da famosa conversa com o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu, travada no começo de março. O áudio foi entregue aos investigadores da Lava Jato como uma das principais provas da delação premiada de Joesley e da JBS. A PF, portanto, aponta que a prova é válida e legítima, o que representa um forte revés para a defesa – política e jurídica – de Temer.

Segundo fontes da PF, da Procuradoria-Geral da República e do Supremo Tribunal Federal, todas com conhecimento direto do teor do laudo, a perícia também detectou ao menos 120 interrupções naturais na gravação, causadas pela qualidade e pelas características do aparelho de gravação. Os peritos conseguiram confirmar que um dos dois aparelhos entregues por Joesley foi efetivamente o responsável pela gravação do áudio. O laudo foi entregue pelo Instituto Nacional de Criminalística no fim da tarde à equipe de policiais federais que tocam o caso. Essa equipe concluirá o relatório do inquérito sobre a participação de Temer em obstrução da Justiça. As informações devem ser enviadas ao Supremo Tribunal Federal na próxima segunda-feira (26).


Nenhum comentário:

Postar um comentário