quinta-feira, 15 de junho de 2017

TCU determina auditoria na folha de pagamento de empresas estatais para apurar cumprimento do teto

Painel - Folha de São Paulo


Com lupa O Tribunal de Contas da União determinou a abertura de auditoria na folha de pagamento de todas as empresas estatais, como o BNDES, para apurar se há desobediência ao teto constitucional no desembolso dos vencimentos. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (14). O TCU quer que o levantamento seja feito de maneira detalhada: ordenou que, além do valor final, a auditoria aponte a composição salarial, discriminando adicionais por função comissionada, por exemplo.
Olho nele Eitel Santiago, subprocurador que concorre à sucessão de Rodrigo Janot na PGR, chamou a atenção de colegas por se recusar a assinar documento que prega a lista tríplice que será formulada pela ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) como a única reconhecida pela carreira.
Explica-se Janot sai da PGR em setembro. O presidente Michel Temer deixou claro que não se sente obrigado a respeitar a lista tríplice da associação. A expectativa é a de que o governo escolha o novo chefe da PGR entre os oito nomes que se candidataram, mas não necessariamente o mais votado.
Data venia Com a polêmica, Eitel afirmou a integrantes da Procuradoria que decidiu não assinar o texto por entender que ele não tem previsão legal. Pela norma, Temer pode escolher qualquer integrante da carreira, mesmo que não esteja na lista.
Pano para manga Juízes e procuradores de entidades que há tempos demonstram incômodo com a atuação de Gilmar Mendes, do STF, classificaram como “estranho” e disseram ver com “reservas” as notícias sobre o patrocínio da JBS a eventos do instituto de direito do ministro.
Deu de ombros Mendes não manifestou qualquer reação às críticas. A amigos, adotou postura pragmática e citou exemplos de veículos de comunicação e renomadas universidades do exterior que atuam com o apoio de patrocinadores. Defendeu um debate “sério” sobre o assunto.
Peso pena Nomes do PSDB fizeram levantamento que insinua que os tucanos que cobram o desembarque do governo Temer são nanicos. Dizem que os 16 que defenderam a permanência da sigla na base aliada, em reunião na segunda (12), somam 46,1 milhões de votos. Os que pediram a saída, 2,7 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário