quinta-feira, 1 de junho de 2017

Registro de patentes deve se acelerar com nova regra

Maria Cristina Frias - Folha de São Paulo


A admissão de pedidos de análise de patente no Brasil deverá cair de 4 anos para 120 dias com uma instrução normativa que será publicada na próxima semana pelo Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual).

O processo que será agilizado é anterior à análise da patente em si e consiste basicamente em um estudo prévio dos documentos. A ideia é automatizar essa etapa.

A fila para estrangeiros registrarem suas solicitações está em 80 mil pedidos —o mais antigo é de janeiro de 2013.

"O procedimento nem está incluso no prazo de 10,8 anos, que é o tempo médio para sair uma patente. [A mudança] vai acelerar o processo, mas outras ações são necessárias", diz o diretor da área no Inpi, Júlio César Moreira.

Além da alta no quadro de funcionários, um dos planos para reduzir o prazo é investir em estrutura e automação. A aplicação, porém, esbarra no orçamento restrito.

"Com o contingenciamento que o Inpi sofreu, temos verba para funcionar só até julho", afirma o diretor.

A Lei Orçamentária Anual de 2017 previa R$ 90,7 milhões ao órgão. Após cortes, foram repassados R$ 50,2 milhões.

"Já usamos a metade do repasse. Pedimos R$ 23 milhões adicionais ao Planejamento, que foram negados", diz.

O contingenciamento atingiu todas as pastas, afirma em nota o ministério. O Mdic (Indústria e Comércio Exterior), ao qual o Inpi está vinculado, diz que já solicitou ao Planejamento que aumente o limite orçamentário.


*

Distribuidores projetam atraso na entrega de insumos agrícolas

Distribuidores de insumos agrícolas, como sementes e agrotóxicos, projetam um atraso nas entregas deste ano devido à demora dos agricultores para realizar pedidos.

Os agricultores aguardam uma estabilização da crise política, do câmbio e do preço das commodities, diz Ivan Paghi, da AgriRede (de distribuidores do Mato Grosso).

Os itens precisam ser entregues até setembro, quando, em geral, começa o plantio.

"Em uma situação ótima, 60% dos pedidos já teriam sido realizados, mas, hoje, não estamos nem em 40%", diz Henrique Mazotini, presidente-executivo da Andav (de distribuidores de insumo).

"Nosso resultado ficou 15% abaixo do normal em abril e maio, que tradicionalmente já são os piores meses do ano", afirma Oswaldo Castro Júnior, da Golden Cargo, operadora logística do setor.

"Provavelmente teremos um crescimento no fim de junho, o que poderá causar problemas nas entregas."

O setor prevê que a situação se normalize em até 15 dias. "O anúncio do Plano Safra também melhorará o planejamento de produtores", diz Luiz Cornacchioni, diretor-executivo da Abag (do agronegócio).

*

Vai passar

A delação do empresário Joesley Batista fez com que os índices de títulos de renda fixa da Anbima caíssem 3,67%, a maior queda diária de toda a série, iniciada em 2003.

De lá para cá, os valores se recuperaram, mas não voltaram aos patamares anteriores à crise política.

Papéis atrelados à inflação, como o NTN-B, fecharam o mês de maio desvalorizados. Os prefixados, no entanto, terminaram no azul.

O que faz com que os títulos de renda fixa caiam é a expectativa em relação às taxas básicas de juros, lembra Sandro Baroni, gerente de índices da Anbima: sem a crise, a Selic teria uma trajetória mais intensa de baixa.

"A volatilidade grande foi um ponto fora da curva. Quem se desesperou naquele momento perdeu dinheiro, ou deixou de ganhar", afirma.

Os papéis que são mais sujeitos à oscilação são os que possuem os prazos de vencimento mais distantes.


*

Saúde interior

O Grupo São Francisco comprou, em um leilão, o hospital Beneficência Portuguesa de Araraquara, no interior de São Paulo. O desembolso foi de R$ 24 milhões, e outros R$ 20 milhões serão investidos na unidade.

Esse é o terceiro hospital do grupo, que atua como uma operadora de saúde, com sua própria rede de atendimento.

A estrutura física do hospital adquirido em leilão está sucateada, e por isso serão necessários aportes no prédio e também em equipamentos médicos e mobiliário para receber pacientes.

"Nós devemos fazer outros investimentos em rede de atendimento. Isso faz sentido do ponto de vista de negócios, pois permite competitividade de custos", diz José Miranda Neto, superintendente de hospitais da empresa.

O grupo de saúde recebeu um aporte da gestora Gávea Investimentos no ano passado, em troca de uma fatia de 30% da participação.

Raio-X

78
São as unidades médias em operação pelo grupo São Francisco

482 mil
São os beneficiários dos planos de medicina de grupo da empresa

*
Local de trabalho

A gestora RBR Asset comprou, por R$ 41,3 milhões, um edifício corporativo na Vila Olímpia, em São Paulo. A vendedora é a São Carlos Empreendimentos.

A empresa tem R$ 700 milhões sob gestão, dos quais R$ 200 milhões são para investir em prédios comerciais.

Antes de adquirir o edifício de São Paulo, a gestora havia adquirido um no Rio, por cerca de R$ 35 milhões.

Deverão ser feitas novas aquisições no futuro.

"O preço do aluguel caiu até 30% em relação ao passado. O acordo sobre preço de compra levou isso em conta", diz Ricardo Almendra, diretor-executivo da BRB.
*
Vegetariano... Mais da metade (59%) dos brasileiros deixou de comprar carnes ou embutidos de empresas envolvidas na Operação Carne Fraca, segundo pesquisa da Flyfrog e da Engaje com mais de 800 entrevistados.

...por um mês Os clientes da classe A foram os que mais boicotaram as empresas: 79% deixaram de comprar. Foram seguidos pelas classes B (66%) e C (56%). As marcas mais afetadas foram a Friboi, da JBS, e Sadia e Perdigão, da BRF.

Telecom A Mexichem expandirá sua produção de microdutos para fibra óptica em sua planta de Sumaré (SP) até o fim de julho, segundo o presidente da operação brasileira, Mauricio Harger. O aporte foi de US$ 1,8 milhão (R$ 5,9 milhões).

Portfólio A fabricante de malas Samsonite trará para o Brasil, até 2018, cinco de suas marcas, diz Anna Chaia, presidente para o Mercosul. Estão confirmadas a chilena Xtrem, que chegará em agosto, e a Tumi, de luxo, no início de 2018.

Turismo A operadora de turismo CVC começará a divulgar, nesta quinta (1º), passagens para voos fretados diretos a Jericoacoara (CE) a partir de Congonhas. O aeroporto na cidade litorânea será inaugurado no próximo dia 24.
*
Hora do Café
com FELIPE GUTIERREZTAÍS HIRATA e IGOR UTSUMI 

Nenhum comentário:

Postar um comentário