segunda-feira, 5 de junho de 2017

Miriam Leitão: "Ambiente de incertezas atinge o auge nesta semana"

Com O Globo e CBN




A economia e a política estão em suspenso nessa semana, à espera da Justiça. O processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer de 2014 começa a ser julgado na terça-feira. Esse é o auge da incerteza. Não é possível saber se, ao final dos três dias agendados para o julgamento, o TSE terá decidido o caso. A essa altura, um pedido de vista seria recebido como mais uma manobra para atrasar o resultado.
Na economia, o destino das reformas provoca dúvidas. O governo de Michel Temer propôs mudanças na Previdência para equilibrar as contas públicas, mas elas ainda não foram aprovadas pelo Congresso. No caso de a chapa ser cassada, o presidente pode recorrer, mas mesmo nesse cenário ele ficaria enfraquecido.      
São muitos os indícios de que houve fraude na eleição que levou Dilma Rousseff e Michel Temer ao poder. O processo apura o abuso de poder político e econômico da chapa financiada com recursos desviados de esquemas de corrupção. Delatores relatam em detalhes como isso ocorreu. Os marqueteiros da campanha contaram nesse processo com foram pagos pela Odebrecht. As revelações da JBS não fazem parte da ação, mas nesse momento já são conhecidas pelo público e também pelos ministros.  
Há todos os elementos para que a corte decida nessa semana. É certo que algum deles pode pedir vista. Mas os argumentos, indícios e provas são conhecidos já há algum tempo. A eleição foi há dois anos e meio. Adiar o desfecho com alguma manobra protelatória deixará o país em uma indefinição ainda maior.
Ouça o comentário feito na CBN.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário