segunda-feira, 26 de junho de 2017

Eletrobras mantém metas de redução de custos e de pessoal


Presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr. - Edilson Dantas /Agência O Globo


Ramona Ordoñez - O Globo


Empresa pretende reduzir, em um ano, de R$ 6 bi para R$ 3,5 bi gastos com redução de quadro


Apesar do mal estar causado pela divulgação da conversa do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, com sindicalistas, na qual afirma que 40% dos funcionários eram inúteis e vagabundos, as metas de redução de gastos e de pessoal estão mantidas. Wilson Ferreira admitiu que errou ao fazer tais afirmações, e que estava na discussão com sindicalistas se referindo aos cargos comissionados. O presidente da Eletrobras destacou que o desafio continua para equilibrar as contas da Eletrobras com redução de custos.

Segundo o executivo, espera-se em um ano conseguir reduzir os gastos com pessoal de todo o grupo Eletrobras, dos atuais R$ 6 bilhões para R$ 3,5 bilhões. Essa redução de gastos será obtidada da seguinte forma, explica Ferreira: R$ 900 milhões com a aposentadoria de 2.500 empregados; R$ 600 milhões com redução de gastos administrativos, com a adoção do plano de incentivo à demissão com a adesão de 2.500 funcionários; outros R$ 700 milhões com a redução de pessoal com as privatizações das seis distribuidoras federalizadas que operam nas regiões Norte e Nordeste; e outros R$ 300 milhões com outras economias não só de pessoal.

A Eletrobras tem ao todo 23 mil empregados, e com os planos de incentivo à aposentadoria, o plano de demissão, e as privatizações das seis distribuidoras, espera reduzir seu efetivo para cerca de 12 mil trabalhadores. Só com a venda das distribuidoras, haverá uma redução de 6 mil funcionários. Ferreira acrescentou que, do total de cargos comissionados, que totalizam hoje 2.200, já estão em processo de sair cerca de 600:

— De fato eu exagerei. As pessoas não são vagabundas nem safadas na forma de abrangência que eu coloquei na reunião. Me arrependo disso e me desculpei no primeiro dia, foi no calor da discussão. Óbvio que a generalidade que fiz é equivocada e errada, e por isso me desculpe. Mas isso não significa que temos uma agenda a enfrentar e quero contar com cada um dos empregados e dos gestores para tocar essa agenda — destacou Ferreira.



Nenhum comentário:

Postar um comentário