sexta-feira, 2 de junho de 2017

Chefe da organização criminosa, Lula diz que já provou sua inocência e que Lava Jato é palhaçada

Ricardo Galhardo e Vera Rosa - O Estado de S.Paulo



No primeiro dia do Congresso Nacional do PT, nesta quinta-feira, 2, em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que “já provou sua inocência e, agora, é a hora de a Lava Jato provar sua culpa”. O petista, que é réu em duas ações penais e alvo de uma denúncia no âmbito da operação, disse ainda que é preciso “parar com essa palhaçada”.

CONGRESSO PT
Os ex-presidentes da República Lula e Dilma Rousseff no 6.º Congresso Nacional do PT em Brasília Foto: DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
“Eu acho que está chegando o momento de parar com palhaçada neste país. Este país não comporta mais essa destruição de achincalhamento”, declarou ao fim de um discurso que durou mais de 40 minutos.

O petista também fez referência ao depoimento que prestou ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, em um dos processos do qual é réu. “Não quero que vocês se preocupem com meu problema pessoal. Isso eu vou resolver com o Ministério Público e com o representante da Lava Jato”, afirmou.
Depois de ser citado pelos empresários Marcelo e Emílio Odebrecht, e aparecer em planilhas da empreiteira com o codinome “Amigo”, segundo investigações, Lula disse que, agora, sabe quem realmente são as pessoas a sua volta. “Sei quem são meus amigos de sempre e quem são meus amigos eventuais. Agora está muito claro. É uma coisa de pele”, afirmou.
Joesley. O ex-presidente ainda rebateu a delação do empresário Joesley Batista, dono da JBS. Ao citar declarações do empresário de que a empresa teria criado uma conta para abastecer campanhas petistas, Lula chamou Joesley de “canalha”.
“Um canalha de um empresário disse que fez uma conta para mim e outra para Dilma, mas a conta está no nome dele e é ele quem mexia na conta”, disse.
O petista também aproveitou para falar sobre o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), citado por Joesley e alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal. “Aécio plantou vento e colheu tempestade.”
Temer. Lula evitou falar sobre um dos temas que mais despertam interesse dos participantes do Congresso, qual será a posição do PT em um eventual Colégio Eleitoral em caso de vacância da Presidência, mas lembrou a eleição indireta de Tancredo Neves em 1985, quando o PT proibiu seus oito deputados de votar e acabou expulsando os três parlamentares que desafiaram a decisão partidária.
"Nós afrouxamos. Porque teve um tempo em que a gente era mais duro. A gente tomava uma decisão e quem não cumprisse no Brasil inteiro estava fora do PT. Este partido não teve medo de ser massacrado pela imprensa em 1985, quando a gente tinha apenas oito deputados, que a gente decidiu não ir ao colégio eleitoral votar no Tancredo e a gente expulsou três deputados. Imaginaram que a gente ia acabar", disse Lula.
Ao se dirigir aos 600 delegados que participam do Congresso Lula pediu a elaboração de um novo programa partidário que balize sua candidatura à presidência em 2018, "Para nós 2018 já começou e está aí", afirmo Lula que também fez um apelo pela unidade interna do PT. "Aqui temos apenas adversários momentâneos. Lá fora estão nossos inimigos de classe", completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário