segunda-feira, 12 de junho de 2017

Pensei no melhor para o país, diz Fux sobre voto para cassar Temer

Julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral
O juiz Luiz Fux durante o terceiro dia de sessão do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE em Brasília - 08/06/2017 (Ueslei Marcelino/Reuters)


Com Veja e Estadão Conteúdo

Ministro do TSE afirma que não quis se curvar à ideia de retirar delações do processo e que o Judiciário vai levar o Brasil ao porto, e não ao naufrágio


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux disse na manhã desta segunda-feira que, durante o julgamento da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pensou no que era melhor para o Brasil. “Não disputei vaidades”, afirmou para uma plateia de empresários e representantes do mercado financeiro que participaram do evento “Brasil Futuro – Direito, Economia e Desenvolvimento”, em São Paulo.
Essa é a primeira participação do ministro em evento público depois do julgamento que absolveu por 4 votos a 3 a chapa Dilma-Temer, mantendo no poder o presidente Michel Temer (PMDB). Fux foi um dos três votos pela cassação do peemedebista, seguindo o voto do relator Herman Benjamin, que também foi seguido pela ministra Rosa Weber.
“Eu não consegui me curvar à ideia de que o que estava sendo discutido no tribunal, uma questão de fundo seriíssima, utilizando-se de um artifício, era: não, não, isso não estava na ação”, criticou o ministro, se referindo à polêmica sobre a inclusão das delações da Odebrecht e do casal de marqueteiros da campanha de 2014 João Santana e Mônica Moura no processo.
Ao encerrar sua palestra, Fux disse que a Justiça “não faltará ao Brasil nestes momentos de dor.” “O Judiciário vai levar o Brasil ao porto, e não ao naufrágio”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário