sábado, 3 de junho de 2017

O aval da propina no Mineirão

Com O Antagonista



Dilma Rousseff orientou Joesley Batista a procurar Fernando Pimentel para atender a um pedido de R$ 30 milhões fora da contabilidade oficial.
Isto foi o que o empresário da JBS disse em depoimento, acrescentando que simulou em contrato uma compra de ações da atual gestora do estádio Mineirão, para repassar a propina ao governador petista de Minas Gerais,como contrapartida por recursos obtidos no BNDES durante o governo do PT.
Agora o relato de Joesley se fortalece.
O Globo informa que a compra não teve, de fato, a anuência de dois financiadores do empreendimento, BNDES e Itaú, conforme previsto em contrato.
Aval mesmo, só o de Dilma Rousseff.

Nenhum comentário:

Postar um comentário