sexta-feira, 2 de junho de 2017

Executivos que fizeram ‘lambança’ com dinheiro público devem ser afastados, diz novo presidente do BNDES


O novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, disse que é necessário afastar controladores de empresas que fizeram “lambanças” com recursos públicos. A declaração foi feita em entrevista coletiva antes de sua posse nesta quinta-feira (1), no Rio de Janeiro.
“Essas empresas que hoje nós queremos linchar são aquelas que nós publicamos como princesinhas do Brasil ontem. Elas eram grandes empresas. Nós temos que recuperá-las para o Brasil e, se possível, afastar os controladores que com recursos públicos fizeram as lambanças que fizeram”.
Paulo Rabello de Castro tomou posse como novo presidente do BNDES nesta quinta-feira (Foto: Khatia Mello/G1)
 Paulo Rabello de Castro tomou posse como novo presidente do BNDES nesta quinta-feira (Foto: Khatia Mello/G1)
Paulo Rabello também falou sobre a necessidade de se apurar a concentração de investimentos para alguns setores empresariais. Perguntado sobre o que ocorreu com a JBS, ele fez críticas e se disse contra o volume de verbas para uma única empresa.
Sem citar o nome do empresário, ele fez um comentário sobre a saída de Joesley Batista do país após o fechamento do acordo de delação com o MPF. “Os empresários que vão tomar champagne em Nova York, esses sim nós temos, se possível, tirar a champagne da mão deles”.

Meirelles: ‘É hora de investir’

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estava presente na solenidade de posse do novo presidente do BNDES. Ele voltou a afirmar que este é o momento de investir no Brasil. “Vamos trabalhar, consumir, investir. É o momento certo. O país está acima das crises e problemas. Vamos em frente”, disse no final de sua fala para uma plateia lotada de convidados e empresários.
O ministro falou sobre as reformas em andamento (Previdência, trabalhista e micro-reformas nos estados), mas destacou que o crescimento da economia no primeiro trimestre se deveu principalmente à aprovação da PEC do Teto. “Que diferença faz um ano. Ano passado vivíamos uma recessão histórica e agora temos maior crescimento com confiança e previsibilidade”, acrescentou.
O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, também presente, afirmou que os investidores estão voltando a apostar no país, minimizando impactos da crise política envolvendo o governo de Michel Temer. “Eles [empresários] estão ávidos por aumentar os investimentos e não estão afugentados pelas crises estruturais que estão ocorrendo”, disse.
Oliveira também relacionou alguns projetos que a nova administração do BNDES deverá tocar a partir de agora. Ele destacou que o banco deverá “agilizar e ampliar a participação do crédito às micros e pequenas empresas”. Ele também pediu maior atenção ao setor de serviços e inovações nos programas tecnológicos.
No discurso de posse o novo presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, afirmou que o momento é de “espantar os fantasmas psicológicos da crise”, também em referência ao resultado do PIB divulgado nesta quinta-feira.
Paulo Rabello afirmou que a preocupação do banco é com a atividade industrial . “Temos que ter um olhar para a siderurgia”. O novo presidente do banco anunciou que já se reuniu com o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas. Segundo ele, também irá se encontrar com representantes da ABAG e da ANBIMA nesta sexta-feira. Ele também acenou com aproximação com o mercado de capitais agradecendo ao presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Com o representante do governador Luiz Fernando Pezão, o secretário da Casa Civil, Cristino Áureo, ele brincou: “leve meu abraço, mas dinheiro não. Vamos ter que conversar muito”.
No discurso ele citou os economistas Roberto Campos e Celso Furtado e agradeceu à presidente Maria Silvia Bastos, a quem ele sucede. O ex-ministro da Fazenda, Ernane Galveas (80 -85) também estava presente à solenidade de posse e recebeu uma saudação especial do novo presidente do BNDES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário