segunda-feira, 26 de junho de 2017

China solta Nobel da Paz diagnosticado com câncer terminal

Com Veja e EFE


O dissidente chinês e prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo foi libertado por razões médicas após ter sido diagnosticado com câncer de fígado terminal, segundo confirmou, nesta terça, o ativista e amigo da família Hu Jia. Liu, de 61 anos, está atualmente internado em um hospital de Shenyang, na província de Liaoning, acrescentou Hu em entrevista por telefone. Liu é um dos dissidentes chineses mais conhecidos e foi premiado com o Nobel da Paz em 2010, após ser condenado no ano anterior a 11 anos de prisão por “incitar à subversão do poder do Estado “.

Liu foi o escolhido para ganhar o Nobel por causa de sua “longa luta não violenta pelos direitos humanos na China”. Ele foi detido pela primeira vez após os célebres protestos do movimento estudantil na Praça da Paz Celestial, em Pequim, em junho de 1989, violentamente reprimidos pelo governo. Entre 1996 e 1999, foi enviado a um campo de “reeducação pelo trabalho” por defender a reforma política e a libertação dos estudantes que participaram dos protestos de 1989 que permaneciam presos.

Liu Xiaobo, ganhador do Nobel da Paz
Liu Xiaobo, ganhador do Nobel da Paz (AFP/VEJA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário