domingo, 29 de janeiro de 2017

Primeiro ataque de Trump mata 14 membros da Al Qaeda no Iêmen

Veja

Um soldado americano é morto e outros três feridos em primeira missão ao Iêmen assinada pelo recém-empossado presidente dos Estados Unidos



Manifestante em protesto contra Ali Abdullah Saleh no centro de Sanaa, Iêmen
Manifestante em protesto contra Ali Abdullah Saleh no centro de Sanaa, 
Iêmen (Ahmad Guarabli/AFP/VEJA)

Ao menos 14 membros da Al Qaeda morreram no Iêmen neste domingo (29), no primeiro ataque aéreo dos Estados Unidos desde que Donald Trump tomou posse. As informações foram publicadas pelo jornal britânico The Guardian.
Um combatente americano foi morto e outros três ficaram feridos. Esta foi a primeira morte de um soldado em missão antiterrorista aprovada por Donald Trump como presidente.
A troca de tiros, que aconteceu em um distrito rural da cidade de Bayda, matou o maior líder da organização no país, Abdulraoof al-Dhahab.
Os Estados Unidos afirmam ter capturado informações valiosas da organização, que podem ser úteis para prevenir futuros ataques terroristas. O Iêmen é um dos sete países de onde Donald Trump proibiu imigração para os Estados Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário