domingo, 26 de fevereiro de 2017

Ministro é fã de xará conquistador

Luiz Maklouf Carvalho - O Estado de S.Paulo

Novo integrante do STF, Alexandre de Moraes diz ter lido tudo sobre Alexandre, o Grande


Alexandre de Moraes, o novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), é um leitor voraz de biografias de um ilustre e histórico xará – nada menos que Alexandre, o Grande, rei da Macedônia, xá da Pérsia e faraó do Egito nas priscas eras antes de Cristo (356-323, ou 32 anos).
Foto: Adriano Machado/Reuters
Alexandre de Moraes
Alexandre de Moraes, ministro do STF
“Acho que já li todas as biografias que saíram no Brasil”, contou ele próprio ao site Conjur, em setembro de 2010, ao falar de seus livros preferidos. Citou duas biografias: a de Massimo Ferreti (três volumes, 1.160 páginas) e a de Claude Mosse (248 páginas), que elogiou pelo estilo, e por outra obra sobre aqueles idos, Péricles, o inventor da Democracia.
Moraes contou ao Conjur que o filósofo grego Aristóteles foi o preceptor de Alexandre, o Grande. “Sempre que conquistava alguma cidade, Alexandre enviava animais, insetos e vegetais para Aristóteles pesquisar. Com base nisso e em outras informações, ele fez uma planilha daquilo que as cidades tinham em comum e foi criando alguns princípios básicos de organização”, ilustrou o advogado.
Disse, também, que a obra Política, de Aristóteles, “teve um papel fundamental em sua vida, inclusive direcionando sua especialização em Direito para a área constitucional”. Entre outras leituras desse período histórico, o xará do conquistador macedônico citou Júlio Cesar, o imperador, do historiador Max Gallo.
Alexandre, o Grande, é personagem de grandes feitos em tão poucos anos de vida. Entre eles, o de nunca ter perdido uma batalha. A história e os biógrafos registram, também, seu lado polêmico, entre eles o autoritarismo (que algumas vezes resultou em mortes), a vaidade extremada, e a sexualidade multifacetada, própria de uma época sem preconceitos, para usar os termos contemporâneos.
No Supremo, o ministro Moraes terá um colega e admirador com quem poderá demorar-se em conversas sobre a história antiga. É o ministro Marco Aurélio, xará do imperador romano (121-180 a.c.), e também dado à leitura de biografias a respeito. Sem contar o ministro decano Celso de Mello, igualmente simpático a Moraes, que não tem homônimos do começo dos tempos, mas sabe de tudo e mais alguma coisa.

Como se diria em tempo de carnaval: é o bloco da Corte maior que saúda a história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário