domingo, 2 de julho de 2017

Venezuela tem 89 mortos em três meses de marchas contra Maduro


Manifestantes da oposição participam de marcha contra governo Maduro em Caracas - CHRISTIAN VERON / REUTERS


O Globo com agências internacionais



CARACAS — A Procuradoria da Venezuela confirmou neste sábado a morte de quatro pessoas durante manifestações do dia anterior na cidade de Barquisimeto, no noroeste do país. Com isso, aumenta para 89 o número de vítimas fatais da violência em três meses de protestos da oposição. A Venezuela se vê mergulhada numa grave crise política e vive uma rotina de marchas praticamente diárias desde o início de abril.

O Ministério Público não revelou as circunstâncias nas que as mortes ocorreram. No entanto, Alfonso Marquina, que é deputado opositor por Barquisimeto, culpou pistoleiros pelos ataques. As vítimas tinham entre 20 e 49 anos, segundo a Procuradoria. Autoridades detalharam apenas que as mortes aconteceram em lugares diferentes da cidade, situada 350 quilômetros a oeste de Caracas.

As manifestações contra o presidente Nicolás Maduro, que completaram três meses hoje, já deixaram cerca de 1 mil feridos e 3.500 detidos, de acordo com o Ministério Público e a ONG Foro Penal.

Neste sábado, cerca de mil opositores marcharam novamente para exigir eleições gerais na tentativa de acabar com o mandato de Maduro, que vai até janeiro de 2019. Os manifestantes também expressam apoio à procuradora-geral, Luisa Ortega, que se transformou de tradicional chavista a ferrenha adversária de Maduro.

Ortega assegura que ao menos 23 pessoas foram mortas por militares e policiais durante as manifestações. Ela também já denunciou detenções arbitrárias e torturas na repressão aos protestos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário