sábado, 29 de julho de 2017

"Mobilidade moderada preserva a saúde dos idosos", segundo Júlio Abramczyk

Felipe Gabriel/Projetor/Folhapress
Aula de ioga laboral no Espaço de Convivência do Idoso
Aula de ioga laboral no Espaço de Convivência do Idoso

Folha de São Paulo

Permanecer imobilizado por longo tempo diante da TV pode exacerbar efeitos prejudiciais e de alto risco em doenças eventualmente presentes nos idosos.

Esta é uma das consequências do comportamento sedentário para a saúde observado nos EUA em idosos entre os 70 e 89 anos de idade.

A solução para uma atividade moderada de idosos é sugerida pelo médico Yu-Tzu Wu, epidemiologista da Universidade de East Anglia, Reino Unido.

Ele recomenda passear por 20 minutos, diariamente, com cães (próprios ou de vizinhos). Além dos benefícios para a saúde, haveria o lucro adicional de contatos sociais, às vezes raros em idosos.

O professor Amal Wanitunga e epidemiologistas da Universidade Johns Hopkins, EUA, relata, na revista "Jama" deste mês, pesquisa realizada em oito centros de intervenção no estilo de vida e independência para idosos. O estudo "Tempo sedentário em adultos idosos" mostra que a atividade física moderada ajuda o idoso com mobilidade dificultada a andar melhor e também previne o agravamento de doenças associadas.

No Brasil, revisão de estudos da área foi realizada por Leandro Machado de Rezende e colaboradores do departamento de medicina preventiva da FMUSP e do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul, SP e publicada na revista científica "PLOS ONE". Os pesquisadores assinalam que o conhecimento atual sobre o comportamento sedentário na saúde evidencia sua relação com todas as causas de mortalidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário