quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Lucro ajustado do Bradesco sobe 13% em 2018, para R$ 21,6 bilhões

O Bradesco anunciou nesta quinta-feira (31) um aumento de 13,4% em seu lucro líquido recorrente em 2018, para R$ 21,564 bilhões, contra R$ 19,024 bilhões no ano anterior.
O lucro líquido contábil saltou 30%, de R$ 14,7 para R$ 19,1 bilhões.
No quarto trimestre, o ganho desconsiderados efeitos extraordinários foi de R$ 5,83 bilhões, 19,9% maior que o obtido no mesmo período do ano anterior.
Agência do Bradesco na região central de São Paulo
Agência do Bradesco na região central de São Paulo - Rubens Cavallari/Folhapress
Segundo o banco, os principais responsáveis pelo crescimento do lucro foram a performance da margem financeira e a redução despesas com PDD (provisão para devedores duvidosos). Também ajudaram a alta nas receitas de prestação de serviços e as operações de seguros, previdência e capitalização.
As despesas expandidas com PDD do banco em 2018 foram de R$ 14,53 bilhões em 2018, uma queda de 30% sobre 2017. Contribui para a redução a queda do índice de inadimplência acima de 90 dias: foi de 4,7% no final de 2017 para 3,51% agora.
A carteira de crédito não teve o mesmo fôlego. Ela fechou 2018 em R$ 531,6 bilhões, um avanço de 7,8% na comparação com o ano anterior.
Foi puxada pelo crédito para pessoas físicas (alta de 11%), em especial no crédito pessoal (+17,8%), consignado (+15,8%) e financiamento de veículos (+14%). O crédito para pessoas jurídicas avançou 6,1%.
Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário