domingo, 23 de julho de 2017

Ursos preocupam mais população do Alasca do que míssil norte-coreano

Isabel Fleck - O Estado de São Paulo


Com o celular na mão, a comerciante Sheri Hess, 67, mostra foto tirada horas antes por uma amiga no quintal de casa, em Anchorage, maior cidade do Alasca. 

Nela, um urso preto é visto andando pelo jardim com seus dois filhotes.

"Ela mora bem perto do centro da cidade. Eles estão chegando cada vez mais perto", diz Hess, que agora só anda "armada" com um spray contra ataque de ursos.

O medo se intensificou depois que duas pessoas foram mortas por ursos pretos próximo a Anchorage no último mês –um rapaz de 16 anos que fazia uma trilha de bicicleta e uma bióloga de 27 anos que coletava amostras de solo perto de uma mina de ouro.

Hoje, é mais fácil encontrar na cidade quem esteja preocupado com um ataque de urso do que com a ameaça nuclear da Coreia do Norte, que já é capaz de atingir o Alasca com um míssil.

Isabel Fleck / Folhapress
Sprays contra urso são vendidos em Anchorage, no Alasca
Sprays contra urso são vendidos em Anchorage, no Alasca

Uma das lojas que vende o "spray forte de pimenta" contra ursos, a Big Rays já teve o produto esgotado três vezes desde o registro da primeira morte, em junho –mesmo com o estoque sendo reposto diariamente.

Segundo o funcionário, os consumidores já entram na loja pedindo o spray, que custa US$ 40 (cerca de R$ 125) e possui um aviso na embalagem dizendo que "pode não ser eficiente em todas as situações".

Na mesma prateleira, há acessórios, como um cinto para posicionar a lata do spray "onde ela tem de estar" se você subitamente encontrar um urso pelo caminho.

Os moradores dizem, contudo, que já não é preciso mais ir ao encontro dos ursos.

No começo de julho, um garoto de 11 anos acordou quando um urso quebrou a janela de seu quarto, numa casa nos arredores de Anchorage. O animal foi embora quando o menino gritou.

Hess também tem sua própria história: foi surpreendida quando a família estacionou o carro perto do aeroporto da cidade.

"Ouvimos um barulho e quando olhei para trás, vimos o urso. Andamos com calma de volta até o carro, sem virar de costas pra ele", disse.

O ataque por ursos pretos é raro, ainda mais próximo à cidade, e especialistas divergem sobre as razões que estariam levando à mudança de comportamento dos animais. Para alguns, a expansão da área urbana é uma das explicações.

Diante da ameaça, a maioria dos moradores já sabe as regras básicas: se o urso for preto, se defenda com um longo galho; se for pardo, deite no chão e se finja de morto. Em qualquer circunstância, não corra. Em último caso, lute com ele com toda a sua força.

Isabel Fleck/ Folhapress
Spray contra urso e outros artigos para prevenir ataques sao vendidos em loja de Anchorage, no Alasca Foto: sabel Fleck/ Folhapress ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
Spray contra ursos e outros artigos que previnem ataques são vendidos em Anchorage

Nenhum comentário:

Postar um comentário