segunda-feira, 3 de julho de 2017

Em "Gypsy", Naomi Watts vive terapeuta imersa em ligações perigosas que arriscam sua carreira

Em "Gypsy", Naomi Watts vive terapeuta imersa em ligações perigosas que arriscam sua carreira  Alison Cohen Rosa/Netflix,Divulgação
Foto: Alison Cohen Rosa / Netflix,Divulgação

Estadão Conteúdo


Jean Halloway aparentemente tem todos os ingredientes para ser feliz. Tem uma carreira notável na cidade de Nova York, uma espaçosa casa nos subúrbios de Connecticut, uma filhinha brilhante e um marido interessante, no caso, o advogado Michael Halloway. Contudo, ela adota um comportamento controverso que pode lhe custar caro. Essa é a trama de Gypsy, thriller psicológico que está sendo exibido na Netflix.
Com 10 episódios de uma hora de duração, a série acompanha a psicóloga interpretada por Naomi Watts, atriz duas vezes indicada ao Oscar — a primeira, pelo filme 21 Gramas (2003) e, a segunda, por O Impossível (2011). Embora tendo jurado ser o porto seguro confiável de seus pacientes e jamais lhes fazer mal algum, Jean quebra essa promessa. Ela começa a desenvolver relacionamentos íntimos e ilícitos com as pessoas que fazem parte da vida dos pacientes que atende em seu consultório. Jean ultrapassa limites da ética profissional, joga-se em fantasias perigosas e corre o risco de afundar em uma crise de identidade.
"Acho que tenho vivido como duas pessoas. Não sei qual é a verdadeira", diz a personagem em uma cena do trailer.
Sem controlar seus impulsos, Jean protagoniza momentos quentes, como cenas sensuais entre duas mulheres. Por meio dela, a série proporciona um mergulho profundo no desejo feminino. Não por acaso, os dois primeiros episódios da atração são dirigidos por Sam-Taylor Johnson, o mesmo do filme Cinquenta Tons de Cinza (2015).
Em entrevista para a revista Vogue Austrália, Naomi enalteceu a importância dessa abordagem.
— Nós não exploramos muito o desejo do ponto de vista feminino, particularmente para as mulheres da minha idade — disse a atriz de 48 anos.
Experiência do ex-marido foi decisiva para atriz voltar à TV
Sem deixar o cinema de lado, Naomi divide agora seu talento com os seriados. Sua última incursão como protagonista de uma produção deste tipo foi em 1997, quando estrelou a série de ficção científica Sleepwalkers, da NBC. Recentemente, ela também fez uma participação especial no revival de Twin Peaks. Um fator importante que contribuiu para que Naomi voltasse a abraçar o formato foi ter acompanhado de perto a bem-sucedida experiência de seu ex-marido, o ator Liev Schreiber, com o gênero. Ele é o astro de Ray Donovan, série exibida no Brasil pelo canal HBO.
Além de Naomi Watts, o elenco de Gypsy traz nomes como Billy Crudup (do filme Spotlight — Segredos Revelados), que vive o marido de Jean, Karl Glusman (Animais Noturnos, de 2016), Sophie Cookson (Kingsman: Serviço Secreto, de 2014) e Lucy Boynton (Sing Street: Música e Sonho, de 2016). O seriado é escrito por Lisa Rubin e a produção é da Universal Television para a Netflix.

Nenhum comentário:

Postar um comentário