domingo, 9 de julho de 2017

A patetice de Dilma 'trambique', a vigarista 'honrada' (segundo FHC)

Com O Antagonista

Merval Pereira resume no Globo a patetice de Dilma Rousseff:
"Dilma presidente foi uma ação controlada de Lula para manter na presidência alguém que ele pensava controlar, e não por ser uma grande administradora. Sua gestão foi um desastre de amplas proporções, cujas conseqüências estamos vivendo até hoje, e nesse desastre pode-se incluir sem nenhum erro a escolha, duas vezes, de Michel Temer para vice-presidente.
Dilma foi impedida por ter cometido irregularidades fiscais graves, proibidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, e foi essa irresponsabilidade que colocou o país na pior crise econômica de sua história. Sabe-se agora, devido às investigações da Operação Lava Jato, que a participação de Dilma nos atos de corrupção que ocorreram em seu governo não foram apenas consequências de sua omissão ou desatenção. Foram, sim, herança política de seu padrinho Lula, segundo o Ministério Público o grande chefe da organização criminosa que dominou o governo central de 2003 até 2015.
Dilma sabia de todo o dinheiro corrupto que irrigava as atividades políticas ilegais do PT e as aceitava, ainda não havendo sido demonstrado que tenha se aproveitado pessoalmente dessa corrupção, a não ser em ações laterais de pouca importância, como usar dinheiro desviado da Petrobras para pagar despesas pessoais através de seus marqueteiros, fatos denunciados pelos próprios em delações premiadas.
Mas autorizou rapasses de dinheiro para campanhas eleitorais e usou contas no exterior de empresários corruptos como o Joesley Batista da JBS. Soa patética a tentativa de dizer que uma presidente honesta foi deposta por um bando de ladrões chefiados pelo vice Michel Temer.
No máximo, estamos diante de uma disputa de gangues que, instaladas no governo federal, se apropriavam do estado brasileiro para suas falcatruas."

Nenhum comentário:

Postar um comentário