quinta-feira, 25 de maio de 2017

Miguel Reale Júnior: "Eu preferia o caminho da renúncia"

O Antagonista

Em entrevista ao Estadão, o jurista Michel Real Júnior, um dos autores do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, disse que há motivos para um pedido de afastamento de Michel Temer, mas defende a renúncia dele.
Vejam este trecho:
Há motivos para pedir o impeachment do presidente Michel Temer?
O conjunto da obra leva, sem dúvida nenhuma, ao enquadramento nas hipóteses do impeachment. Houve uma lesão à moralidade administrativa. Eu preferia, porém, o caminho da renúncia. O Brasil não aguenta mais um processo de impeachment. O processo é doloroso. Paralisa a Câmara e o Senado. O Brasil não pode parar.
O que é mais grave, as pedaladas da ex-presidente Dilma Rousseff ou as denúncias contra Michel Temer?
São fatos completamente diversos e com consequências totalmente diferentes. As pedaladas levaram o Brasil à recessão econômica e à maior crise da sua história. As acusações à Dilma não se restringem às pedaladas. Havia na petição do impeachment a acusação que ela tinha conhecimento de toda a corrupção na Petrobrás e que dava cobertura a diretores da estatal que estavam envolvidos. Nós fazíamos referência à delação do (Alberto) Youssef, mas o Eduardo Cunha excluiu isso da apreciação do impeachment. Ele não queria que fatos do mandato passado fossem apreciados porque pegariam ele na Comissão de Ética. Os fatos relacionados ao Temer são da velha política: conchavo, acerto, empresários desonestos e condutas nada republicanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário