domingo, 28 de fevereiro de 2016

Confira a transformação de DiCaprio de sua primeira à última indicação ao Oscar

Folha de São Paulo


Um dos memes mais longevos da internet pode acabar neste domingo (28). Basta que Leonardo DiCaprio, 41, suba ao palco do Oscar para receber a tão esperada estatueta.
A saga de DiCaprio pelo prêmio é bem documentada em piadas, comoções e até jogos on-line. Ele tenta o feito há mais de 20 anos, durantes os quais viu de atores desacreditados (Matthew McConaughey) a novatos (Eddie Redmayne) chegando lá primeiro.

Se ainda era um adolescente com pouca experiência no ramo quando concorreu pela primeira vez, agora ele retorna à cerimônia como um dos maiores expoentes do cinema americano, com um pouco mais de peso, mas ainda levando aos suspiros parte do público feminino.  

 Veja abaixo as transformações do ator desde sua primeira indicação:

Gilbert Grape: Aprendiz de Sonhador

Leonardo DiCaprio em cena de
Leonardo DiCaprio em cena de "Gilbert Grape: Aprendiz de Sonhador" - Divulgação
A primeira indicação, como coadjuvante, veio por "Gilbert Grape: Aprendiz de Sonhador" (1993), no qual contracenou com Johnny Depp, que disse recentemente que torturou o ator na época.
Aos 19, ele ainda conservava o rostinho de bebê que o transformou em um dos maiores queridinhos das adolescentes dos anos 1990. O cabelo era mais longo e muito loiro, com as madeixas caindo para o lado. Nem sinal de rugas.

O Aviador

Leonardo DiCaprio em cena de
Leonardo DiCaprio em cena de "O Aviador", de Scorsese - Divulgação
Demorou 11 anos para DiCaprio voltar a disputar a famosa estatueta. Desta vez, ele concorreu na categoria principal com "O Aviador", sua segunda colaboração com o diretor Martin Scorsese.
Agora aos 30, já exibia mais maturidade, trocando o rosto liso de seu passado pré-"Titanic" por uma barba rasa. As madeixas foram aparadas, jogadas para trás com gel e seu tom escureceu.

Diamante de Sangue

DiCaprio em cena de
DiCaprio em cena de "Diamante de Sangue", filme que lhe rendeu sua terceira indicação ao Oscar - Divulgação
O violento "Diamante de Sangue" rendeu outro convite à famosa cerimônia, em 2007. O ator pouco mudou: manteve a barbicha, desenvolveu o bronzeado e encurtou ainda mais o cabelo.  
"Diamante de Sangue" também viu um DiCaprio mais machão que galã, se opondo ao violento regime de exploração em Serra Leoa.

O Lobo de Wall Street

De novo com Scorsese, a Academia indicou DiCaprio por seu desempenho maníaco em “O Lobo de Wall Street”, em 2014. Seu Jordan Belfort concorreu com Chiwetel Ejiofor, Christian Bale, Bruce Dern e Matthew McConaughey, que se sagrou vencedor.
Aos 39, o eterno Jack de “Titanic” já acusava a passagem do tempo. O cabelo novamente escuro era exibido ao lado do cavanhaque, seu colega ocasional ao longo dos anos. A novidade ficou a cargo das rugas, discretas, mas lá.

O Regresso

Leonardo DiCaprio sofre em
Leonardo DiCaprio sofre em "O Regresso", filme do diretor Alejandro Gonzalez Iñárritu - Divulgação
Se no filme de Alejandro González Iñárritu DiCaprio chega a parecer um homem das cavernas —sujo, ferido e peludo—, fora das telas ele continua com pinta de galã. 
As marcas de expressão se acentuaram e o ator ganhou um pouco de peso, mas só o suficiente para um dia, em um futuro distante, ganhar o Oscar por uma possível cinebiografia de Jack Nicholson. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário