quarta-feira, 12 de abril de 2017

Chefão da infraestrutura da Odebrecht diz que liberou pagamentos com anuência de Marcelo

Julia Affonso, Ricardo Brandt, Fábio Serapião, Breno Pires e André Borges - O Estado de São Paulo

Benedicto Barbosa da Silva Júnior, um dos 78 delatores da empreiteira, confirmou à Lava Jato pagamentos para políticos de PT, PMDB, PSDB, PSB, entre outros


benedicto foto
O delator Benedicto Barbosa da Silva Júnior, um dos principais homens do setor de construções do Grupo Odebrecht, afirmou aos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, que todos os pagamentos feitos para políticos foi delegado a ele por Marcelo Bahia Odebrecht, o presidente afastado do grupo, preso desde junho de 2015, em Curitiba.
“O que eu fiz foi delegado por Marcelo”, afirmou o delator.
Benedicto – um dos 78 nomes da mega delação da Odebrecht, fechada com a Operação Lava Jato – confirmou que ele e os executivos de sua área demandavam pagamentos do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o chamado por investigadores de “departamento da propina”.
Ele foi questionado sobre as doações feitas por executivos da Odebrecht de sua área e disse que tinha ciência de todas elas. “Sim, tive ciência do conjunto e aprovei. Tenho ciência e responsabilidade.”
São doações para o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), morto em 2014, para o ex-deputado José Genoino (PT-SP), Geraldo Julio (PSB), Paulinho da Força (PDT), Roberto Freire (PPS), Fernando Capez (PSDB), Barros Munhoz (PSDB), Carlos Zaratine (PT), Campos Machado (PTB), Celso Russomano (PPP), José Aníbal (PSDB), entre outros

Nenhum comentário:

Postar um comentário