sexta-feira, 28 de abril de 2017

Dado como quase eleito, Macron anima disputa de Paris com Londres

Reprodução/'Financial Times'
Ilustração do "Financial Times" mostra candidato francês seduzindo investidores hoje no Reino Unido


Nelson de Sá - Folha de São Paulo


O londrino "Financial Times" publicou, com a ilustração acima, que o "triunfo" de Emmanuel Macron na França e o Brexit mostram que "Paris venceu e Londres perdeu". E que agora "a maior vitória seria tomar o lugar de centro financeiro da Europa".

Em Paris, "Le Monde" e "Le Figaro" cobriram com manchetes uma entrevista de Macron à rede TF1, os três veículos retratando o ex-ministro da economia como praticamente eleito —e enfatizando como ele fala, humildemente: "Não me considero favorito".

Faltando dez dias para o segundo turno, pesquisa Harris mostrou Macron com 61% e Marine Le Pen com 39%. Em quatro dias, ele perdeu e ela ganhou três pontos.


ILUSÕES

A chanceler alemã, Angela Merkel, falou duramente sobre as negociações para o Brexit, no título do "Frankfurter Allgemeine": "Os britânicos não devem ter quaisquer ilusões".

Na Bloomberg, "em campanha", a primeira-ministra britânica, Theresa May, usou o aviso dos "europeus" para pedir mais voto.


'FALSE NEWS'

Em relatório, o Facebook volta a citar medidas contra notícias falsas, como a derrubada de 30 mil páginas na campanha francesa.

Mas ainda divide a culpa, agora acusando "governos", sem citar a Rússia, pelas "operações de informação". De responsabilidade do Facebook mesmo, só o combate à "falsa amplificação".
*
Reprodução
Reportagem da CNN acompanhou a libertação de uma família em condição de escravidão na Amazônia

'ESCRAVIDÃO'

CNN acompanhou o Ministério do Trabalho na libertação de uma família em Tocantins. Anotou como "a servidão por dívida é comum na terra do gado", atingindo "milhares"

Nenhum comentário:

Postar um comentário