quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Amazon lucra US$ 10 bi em 2018, em alta de 237%

Amazon faturou US$ 232,9 bilhões em 2018

A varejista americana Amazon teve lucro recorde em 2018: ao longo do ano passado, a empresa ganhou US$ 10,1 bilhões, em alta de 237% na comparação com 2017. Já o faturamento da companhia, fundada por Jeff Bezos, ficou em US$ 232,9 bilhões no ano passado, um crescimento de 31% em relação à temporada anterior. Os números fazem parte do relatório financeiro divulgado pela empresa nesta quinta-feira, 31. 
Os resultados vieram acima do esperado pelo mercado financeiro, mas ainda assim o desempenho não animou os investidores. Após o fechamento do mercado da bolsa de valores Nasdaq, as ações da empresa eram negociadas com queda de 1%, em cerca de US$ 1700. Ainda assim, a Amazon segue avaliada em torno de US$ 840 bilhões, sendo a empresa mais valiosa do mundo – em segundo lugar, está a Microsoft, em US$ 800 bi. 
Há dois motivos que explicam o pessimismo do mercado: as previsões tímidas que a empresa fez de receita para o próximo trimestre, entre janeiro e março de 2019, bem como a desaceleração de seu crescimento nos Estados Unidos. No último trimestre de 2018, as vendas da varejista em seu país subiram 18% na comparação com o mesmo período do ano anterior; em 2017, a aceleração havia sido de 42%. 
Por outro lado, as atividades da Amazon nos EUA deram à empresa lucro de US$ 7,3 bilhões ao longo do ano passado. Desempenho semelhante foi registrado pela Amazon Web Services (AWS), divisão de computação em nuvem da companhia – as margens operacionais da AWS, porém, são de cerca de 29%, contra apenas 5% do varejo. 
Alexa. No comunicado aos acionistas da empresa, o presidente executivo da Amazon, Jeff Bezos, destacou ainda o progresso da assistente digital da empresa, Alexa, ao longo do ano passado. Segundo ele, o sistema de inteligência artificial agora possui 80 mil habilidades e já está presente em 150 dispositivos diferentes, incluindo caixas de som conectadas, televisões e smartphones. Além disso, a plataforma da empresa é compatível com cerca de 28 mil dispositivos para a casa conectada, como lâmpadas, termostatos e geladeiras. 
Outro assunto que mereceu destaque nos resultados da empresa foi a Amazon Brasil – na semana passada, a loja brasileira da Amazon passou a vender itens diretamente aos consumidores em 12 novas categorias, como eletrônicos, eletrodomésticos e decoração. 

Por Bruno Capelas - O Estado de S. Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário