quinta-feira, 29 de julho de 2021

Bolsonaro: “É justo quem tirou Lula da cadeia ser o mesmo que vai contar os votos numa sala secreta no TSE?”

 

O presidente Bolsonaro iniciou a live desta quinta-feira (29) disparando contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, que é, neste momento, o principal opositor à implantação do voto impresso auditável no Brasil.

O presidente da República acusou o magistrado de promover ações contra a proposta do voto impresso. Segundo ele, Barroso, que também é ministro Supremo Tribunal Federal (STF), interferiu na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ) para barrar o projeto.

Bolsonaro ainda jogou dúvidas sobre a lisura dos responsáveis pela contagem dos votos das eleições.

“É justo quem tirou Lula da cadeia ser o mesmo que vai contar os votos numa sala secreta no TSE?” — questionou Bolsonaro numa clara referência ao fato das principais lideranças do TSE serem integrantes do STF, que anulou as condenações de Lula, o liberando para concorrer à eleição presidencial de 2022.


República de Curitiba

Frio: técnica de irrigação evita perdas em frutas e hortaliças

Método cria uma camada de gelo sobre o fruto, impedindo queimaduras provocadas pelas baixas temperaturas


Em Tangará, Santa Catarina, produtores usaram a irrigação por aspersão para congelar e proteger a produção | Foto: Walter Graff Zang/Epagri
Em Tangará, Santa Catarina, produtores usaram a irrigação por aspersão para congelar e proteger a produção | Foto: Walter Graff Zang/Epagri

A formação de geada pode refletir de forma negativa na atividade agrícola e pecuária, causando prejuízos em cultivos e criações sensíveis ao frio. Para impedir perdas, a técnica de irrigação por aspersão pode ser uma aliada do produtor de fruta.

A irrigação por aspersão simula o efeito da chuva sobre as plantas, utilizando um sistema que pulveriza a água. Esse sistema conta com um mecanismo chamado aspersor, que divide a água em jatos e os impulsiona na direção da plantação. Por isso, ele ganhou o apelido de chuva artificial.

“Essa técnica forma uma camada de gelo ao redor da planta, para que a proteja e mantenha uma temperatura próxima de 0ºC, servindo como um tampão e prevenindo a queima do fruto devido as temperaturas negativas”, diz o coordenador de fruticultura da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. “Literalmente a planta fica congelada, realizando um isolamento de frio”, explica.

Hortaliças

A produção de hortaliças também é sensível ao frio intenso, por isso, recomenda-se manter os aspersores da irrigação ligados no dia em que a geada ocorre, até o nascer do sol. Isso porque a água tem uma temperatura maior em relação ao ambiente e ajuda a formar uma camada de vapor que protege as plantas do congelamento.

Sabrina Nascimento, Revista Oeste

Êxodo venezuelano pode superar o da Síria em 2022

 


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil | Me

Até o início de 2022, o número de emigrações venezuelanas pode chegar a sete milhões de pessoas. A quantidade supera o êxodo da Síria (6,7 milhões), considerado o maior do mundo. Os dados aparecem no relatório divulgado pelo Grupo de Trabalho da Organização dos Estados Americanos para a Crise de Migrantes e Refugiados Venezuelanos, divulgado nesta quinta-feira, 29.

A equipe é coordenada por David Smolansky, que nasceu no país sul-americano. Ele assegura que existem mais de 5,6 milhões de migrantes e refugiados da Venezuela — número que corresponde a 18% da população local. “É a maior crise de exilados da história da região”, declarou. De setembro de 2020 para cá, cerca de 700 a 900 pessoas fugiram diariamente por vias irregulares, enfrentando rotas marítimas ou trilhas perigosas.

O principal destino é a Colômbia, que já conta mais de 1,7 milhão de venezuelanos no seu território, seguida por Peru (1,05 milhão), Estados Unidos (465 mil), Chile (457 mil) e Equador (431 mil).

Artur Piva, Revista Oeste

‘Queremos eleições democráticas’, afirma Bolsonaro

 

Bolsonaro garante querer eleições democráticas
Bolsonaro garante querer eleições democráticas | Foto: Reprodução/YouTube

O presidente Jair Bolsonaro promoveu uma live nesta quinta-feira, 29, para falar sobre a segurança das urnas eletrônicas de primeira geração, utilizadas nas eleições brasileiras desde 1996. Durante a transmissão, o chefe do Executivo federal esclareceu as dúvidas sobre o voto “impresso” e comentou a resistência do Tribunal Superior Eleitoral à auditoria dos votos nas eleições de 2022.

Butão, Bangladesh e Brasil

Segundo Bolsonaro, apenas Butão, Bangladesh e Brasil utilizam as urnas eletrônicas de primeira geração nas eleições. “Por que países como Japão e Coreia do Sul não adotam um sistema como o nosso?”, perguntou. “O presidente do Tribunal Superior Eleitoral [TSE], Luís Roberto Barroso, disse que nosso sistema é seguro e confiável.”

Debate politizado

O chefe do Executivo federal criticou o modo como o debate sobre o voto “impresso” foi conduzido no Brasil. “Por que a ferocidade do presidente do TSE em não querer discutir o assunto, não falar sobre a contagem pública de votos?”, indagou. “Por quê, na iminência da aprovação da PEC da deputada Bia Kicis, ele se reuniu com lideranças partidárias?”

Barroso e a reunião com líderes partidários

De acordo com Bolsonaro, após o encontro entre o ministro Luís Roberto Barroso e as lideranças de 11 partidos, as siglas mudaram radicalmente de posição sobre a questão do voto “impresso”. “Qual é o poder de persuasão do Barroso?”, questionou. “Que poder esse homem tem para demonstrar essa forma de convencimento?”

O presidente da República afirma que a auditoria dos votos permitiria a realização de eleições democráticas em 2022. “Por que Barroso teme tanto o voto democrático?”, perguntou. “Por que ele não quer eleições democráticas? Mentem, senhor ministro Barroso, aqueles que dizem ser retrocesso a instauração do voto impresso.”

Urnas eletrônicas de primeira geração não são auditáveis

Conforme Bolsonaro, amparado na opinião do deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), o sistema eleitoral brasileiro é inauditável — ou seja, não é possível verificar os votos. “Não dá para comprovar se houve fraude nas eleições”, afirmou. “Qual será o futuro do Brasil se terminarmos as eleições com um lado ou outro desconfiando do resultado do pleito?”

O chefe do Executivo federal garante não querer criar animosidade com os Poderes da República. “Queremos paz, tranquilidade”, asseverou. “O destino do Brasil será escolhido pelos eleitores. Se tiverem feito escolhas erradas, que aguentem as consequências. Porém, não podemos admitir que um candidato vença as eleições sem ter votos suficientes.”

Segundo Bolsonaro, não é justo os “responsáveis” pela libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva serem os escolhidos para contar os votos nas eleições presidenciais de 2022. “Quero eleições no ano que vem, vamos realizá-las”, disse. “No entanto, queremos eleições limpas, democráticas, sinceras. O que está em jogo é o futuro do Brasil.”

Leia também: “É proibido modernizar a urna eletrônica?”, reportagem de Cristyan Costa publicada na Edição 69 da Revista Oeste

Edilson Salgueiro. Revista Oeste

Flamengo 6 x 0 ABC - Gols e Melhores Momentos - Copa do Brasil 2021

Análise da live de Jair Bolsonaro de 29/07/21

#BolsonaroPresidenteAte2026 Live do presidente Bolsonaro