sexta-feira, 21 de abril de 2017

Palocci busca intervenção de Moro para destravar delação; mercado questiona o quanto ele dirá

Painel - Folha de São Paulo



Mensagem para você Antonio Palocci enviou um recado quando escancarou, diante do juiz Sergio Moro, que quer fazer delação premiada. Ao dizer que está à disposição para falar com o magistrado, no dia em que ele quiser, sinalizou que enfrenta problemas para fechar o acordo de colaboração com os investigadores e busca por uma intervenção de Moro na negociação. Isso mudou a interrogação que paira no mercado financeiro de “será que Palocci vai falar?” para “quanto ele vai contar?”.
Porte Analistas do mercado financeiro dão como certo que Palocci indicará uma lista de problemas em negócios firmados com bancos pequenos e de investimento. Poderá dar detalhes, por exemplo, sobre a operação no Panamericano. A dúvida é se o ex-ministro envolverá as grandes instituições em seu relato.
Bipolar No depoimento, Palocci delineou diferenças entre os estilos de Emílio e Marcelo Odebrecht. Disse que era possível falar com o patriarca sem mencionar negócios, o que não ocorria com o herdeiro. “O Marcelo era um guerrilheiro da empresa. Sem crítica pessoal. É um ótimo pai de família”, definiu.
Diversionista Um dos mais alvejados com as revelações da Lava Jato desta quinta-feira (20), o ex-presidente Lula tentará desviar o foco da operação com atos políticos. Segunda (24), faz seminário em Brasília sobre os rumos da economia, com senadores e deputados do PT. Haverá críticas a Michel Temer.
Largada A sigla usará o evento para desmerecer as propostas de reformas trabalhista e previdenciária e vai lançar um documento, já com viés eleitoral, chamado de “seis medidas emergenciais para recuperação da economia, do emprego e da renda”.
Vai, mas demora Dos 14 pedidos de investigação deflagrados pela delação da Odebrecht que serão analisados pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), apenas dois já foram enviados pelo Supremo. Como o material seguiu via Correios, o restante só deve chegar semana que vem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário