quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Lula, Cabral e Campos. O que há em comum entre eles?



Lula, Campos e Chávez no canteiro de obras 
da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco



Pelo menos dois governadores íntimos de Luiz Inácio Lula da Silva, Eduardo Campos (PE) e Sérgio Cabral (RJ), se destacaram como coadjuvantes da organização criminosa do... Lula, protagonista central do maior esquema de corrupção jamais visto no planeta.

O destaque dos dois ao longo dos governo Lula e Dilma chamava a atenção até dos incautos. Recursos enormes do BNDES 'bancaram' obras e obras em Pernambuco e no Rio de Janeiro. Estádios de futebol, refinarias e outros projetos suportaram milhares de empregos que foram para o espaço quando a organização criminosa do Lula foi desmontada pela Lava Jato e Dilma 'trambique' expelida do Palácio do Planalto.

Sérgio Cabral está no xadrez.

Eduardo Campos morreu na queda de um avião 'sem dono', num acidente tão suspeito quanto a carreira política do então candidato a presidente da República em 2014. Suspeitas que só cresceram desde o célebre caso do escândalo dos precatórios, quando Campos era secretário da Fazenda do avô Miguel Arraes (1995-1998).

Empreiteiros envolvidos em falcatruas dos governos Lula e Dilma em conluio com os governos do Rio de Janeiro e de Pernambuco também estão no chilindró.

Estranhamente, Lula, chefe da organização criminosa e réu em seis processos - já com uma condenação - continua solto e operando.

Mais grave, atacando ostensivamente a Polícia Federal, o Ministério Público, a Receita Federal e o Judiciário.







Nenhum comentário:

Postar um comentário