quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Câmara volta a atingir quórum para votar denúncia contra Temer; siga

Com O Estadão


A Câmara dos Deputados começou a discutir nesta quarta-feira, 2, a denúncia contra o presidente Michel Temer. Pela manhã, na sessão que começou às 9h, falou o relator do parecer da CCJ, Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) e a defesa do presidente, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira. Após sucessivas tentativas de obstrução da oposição, com requerimentos e questões de ordem, a sessão atingiu as 5h e teve de ser encerrada.
Com isso, Maia teve de convocar uma nova sessão às 14h, em que o quórum de 342 deputados foi atingido por volta das 15h20. O requerimento apresentado pela oposição para adiar a votação para de noite, com o intuito de ter mais pessoas assistindo, não foi aprovado no plenário.


ACOMPANHE AO VIVO

  ATUALIZAR
  • 15h56
    02/08/2017
    O relator da Operação Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, afirmou há pouco que irá ordenar o processo contra o presidente Michel Temer "assim que a Câmara tomar a decisão". Na expectativa de Fachin, o resultado da votação da denúncia contra o presidente nesta quarta-feira, 2, na Câmara, "não deve demorar muito". 

  • 15h56
    02/08/2017
    Antes mesmo de iniciar a votação da denúncia contra Michel Temer na Câmara, deputados da oposição admitiam que o cenário era amplamente favorável ao presidente. A primeira derrota dos oposicionistas foi não conseguir impedir o governo de alcançar o quórum de 342 deputados para dar início à votação, o que aconteceu por volta das 12h30. "Perdemos", afirmou o deputado Sílvio Costa (PTdoB-PE). Leia mais 

    Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
  • 15h56
    02/08/2017
    Antes mesmo de iniciar a votação da denúncia contra Michel Temer na Câmara, deputados da oposição admitiam que o cenário era amplamente favorável ao presidente. A primeira derrota dos oposicionistas foi não conseguir impedir o governo de alcançar o quórum de 342 deputados para dar início à votação, o que aconteceu por volta das 12h30. "Perdemos", afirmou o deputado Sílvio Costa (PTdoB-PE). Leia mais 

    Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
  • 15h51
    02/08/2017
    Antes mesmo de iniciar a votação da denúncia contra Michel Temer na Câmara, deputados da oposição admitiam que o cenário era amplamente favorável ao presidente. A primeira derrota dos oposicionistas foi não conseguir impedir o governo de alcançar o quórum de 342 deputados para dar início à votação, o que aconteceu por volta das 12h30. "Perdemos", afirmou o deputado Sílvio Costa (PTdoB-PE). Leia mais 

    Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
  • 15h51
    02/08/2017
    A deputada Maria do Rosário (PT/RS) protesta durante sessão na Câmara que votará a denúncia contra o presidente Michel Temer, por corrupção passiva. 
  • 15h51
    02/08/2017
    A deputada Maria do Rosário (PT/RS) protesta durante sessão na Câmara que votará a denúncia contra o presidente Michel Temer, por corrupção passiva. 

  • 15h48
    02/08/2017
    A deputada Maria do Rosário (PT/RS) protesta durante sessão na Câmara que votará a denúncia contra o presidente Michel Temer, por corrupção passiva. 

  • 15h43
    02/08/2017
    O deputado Alessandro Molon (REDE-RJ) afirmou que o parlamento corre o risco de colaborar com impunidade e permitir troca de votos. Ele questiona se o Congresso será "cúmplice de Temer" e "conivente com crimes". 
  • 15h39
    02/08/2017
    A consultoria de risco político Eurásia afirmou há pouco que o presidente Michel Temer vencerá a votação na Câmara com mais de 270 votos, o que deve reforçar sua chance de terminar o mandato no final de 2018. Com a vitória, o governo poderá recomeçar as negociaçoes para a reforma da Previdência. 
  • 15h31
    02/08/2017
    Ministros do governo que não foram exonerados dos cargos também estão na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira fazendo corpo-a-corpo com parlamentares em busca de votos para barrar a denúncia contra o presidente Michel Temer. O Broadcast Político encontrou os ministros da Saúde, Ricardo Barros (PP); da Agricultura, Blairo Maggi (PP); da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB) pelas dependências da Casa conversando com parlamentares.

    "Está tudo sob controle. Vamos vencer", disse Barros, que, apesar de ser deputado, não foi exonerado para participar da votação como outros parlamentares. Temer exonerou 10 ministros que são deputados para que retomassem os mandatos e votassem contra a abertura da denúncia, entre eles, Bruno Araujo (Cidades), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Osmar Terra (Desenvolvimento Social) e Mauricio Quintella (Transportes). (Igor Gadelha
  • 15h30
    02/08/2017
    Ivan Valente (PSOL-SP) fala que 85% da população quer saída de Temer e questiona como o Congresso faz "ouvidos moucos". 
  • 15h30
    02/08/2017
    O deputado Wladimir Costa (SD-PA) levou há pouco uma bronca do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao chamar os partidos de oposição de organização criminosa. "Aqui há partidos políticos e não organizações criminosas. Peço que o senhor não volte a usar essa expressão", interrompeu Maia.

    "Essa é a minha opinião", respondeu Costa, que no momento usa a tribuna para fazer mais um discurso inflamado contra a oposição. O deputado está sendo vaiado neste momento pelos parlamentares da oposição. (Eduardo Rodrigues)

  • 15h27
    02/08/2017
    "Temer é um homem ético, transparente, tem ética, moralidade", diz Costa. Do plenário, deputados gritam "mostra a tatuagem", "deixa eu ver a henna", "até a tatuagem dele é superfaturada".

  • 15h25
    02/08/2017
    Deputado da tatuagem de Temer, Wladimir Costa chama oposição de "indecentes e incompetentes". "Quem é Temer mostra a cara e até tatua aqui no ombro", disse.
  • 15h23
    02/08/2017
    Mesmo sem ter iniciado a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer de fato na Câmara, neste momento membros da equipe do Cerimonial do Palácio do Planalto já arrumam o Salão Leste para o esperado pronunciamento após o resultado.

    Com a expectativa de derrubar a denúncia, de acordo com auxiliares, Temer deve fazer uma fala mirando o futuro e ressaltando a importância de o País seguir com as reformas. Oficialmente, o governo ainda não confirma a fala do presidente, mas interlocutores destacam que o discurso já está encaminhado. (Carla Araújo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário