sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Produção de veículos cresce 22% até julho e soma quase 1,5 milhão de unidades. A crise era a dupla corrupta Lula-Dilma

André Ítalo Rocha - O Estado de S.Paulo


A produção de veículos no Brasil cresceu 17,9% em julho deste ano ante igual mês do ano passado, informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram 224,7 mil unidades produzidas no primeiro mês do segundo semestre, em conta que inclui automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.
Veículos
224,7 mil veículos foram produzidos somente no mês de julho Foto: Michaela Rehle/Reuters
Em relação a junho, a produção teve alta de 5,9%. Com os resultados, os sete primeiros meses do ano somam a fabricação de 1,488 milhão de unidades, expansão de 22,4% em relação a igual intervalo do ano passado. O crescimento tem sido impulsionado principalmente pelas exportações.
Por segmento, os automóveis e comerciais leves, juntos, somaram 215,2 mil unidades produzidas em julho, aumento de 17,1% em relação a julho do ano passado e de 5,9% ante o volume do mês anterior. No acumulado do ano, o avanço é de 22,6%, para 1,432 milhão de unidades.
Entre os pesados, foram 7,2 mil caminhões produzidos no mês passado, avanço de 41,5% ante igual mês de 2016 e de 6% sobre o volume de junho. O segmento acumula crescimento de 19% nos sete primeiros meses do ano, para 43,2 mil unidades.
No caso dos ônibus, as montadoras produziram 2,3 mil unidades em julho de 2017, expansão de 40,7% sobre o resultado de igual mês do ano passado e de 2,9% em relação a junho. No ano, o segmento acumula aumento de 12,9%, para 12,2 mil unidades.
Apesar da alta na produção, as demissões continuam nas montadoras. Só em julho, 276 vagas de emprego foram eliminadas. Considerando os últimos 12 meses, são 1.693 vagas a menos. Com isso, a indústria conta hoje com 125.172 funcionários, recuo de 1,3% em relação ao nível de julho do ano passado. 
15

Veja os modelos de carros mais financiados no Brasil

Vendas. A venda de veículos novos no Brasil alcançou 184,8 mil unidades em julho, alta de 1,9% em comparação com igual mês do ano passado, mas queda de 5,2% sobre o resultado de junho. No acumulado do ano, o mercado sobe 3,4% em relação a igual período do ano anterior, para 1,204 milhão de unidades.
Por segmento, as vendas de automóveis e comerciais leves, juntos, somaram 179 mil vendas em julho, expansão de 2,3% em relação a julho de 2016, porém recuo de 5,5% ante o volume do mês anterior. Os emplacamentos destes dois segmentos acumulam, nos sete primeiros meses do ano, avanço de 4% sobre igual intervalo do ano passado, para 1,172 milhão de unidades.
Entre os pesados, foram 4,5 mil caminhões vendidos no sétimo mês do ano, baixa de 3,2% ante igual mês do ano passado, mas alta de 7,5% sobre o resultado verificado no sexto mês. No acumulado do ano, o segmento acumula retração de 14,1%, para 25,9 mil unidades.
No caso dos ônibus, as montadoras venderam 1,2 mil unidades em julho, queda de 27% sobre o resultado de igual mês do ano passado e baixa de 1% em relação a junho. A contração no acumulado do ano é de 16,9%, para 6,3 mil unidades.
Os pátios das montadoras e das concessionárias terminaram o mês passado com 217,7 mil veículos à espera de um comprador. O estoque é suficiente para 35 dias de venda, considerando o ritmo das vendas registrado em julho. Um mês antes, este número de veículos era de 220,1 mil, suficiente para 36 dias de vendas, também considerando o ritmo de julho. Segundo a Anfavea, o ideal é que os estoques sustentem cerca de 30 dias de vendas.
Exportações. As exportações em valores de veículos e máquinas agrícolas somaram US$ 1,384 bilhão em julho, alta de 46,8% na comparação com julho do ano passado e de 1,3% ante junho. No acumulado do ano, houve crescimento de 52% sobre igual período de 2016, para US$ 8,792 bilhões. Os dados foram divulgados há pouco pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

No sétimo mês do ano, foram exportadas 65,7 mil unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, o que representa expansão de 42,5% na comparação com igual mês do ano passado, mas baixa de 2,4% ante junho. No acumulado do ano, houve avanço de 55,3% sobre igual período de 2016, para 439,5 mil unidades. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário