segunda-feira, 7 de agosto de 2017

"Odebrecht e JBS puseram o Estado brasileiro em sua folha de pagamento"

Com O Antagonista

Eduardo Gianetti da Fonseca, entrevistado por Sonia Racy, disse que “precisamos de um Estado fechado a negócios. Um Estado que não vai apontar campeões nacionais ou dar crédito subsidiado, nem bancar falências”.
E também:
“Temos uma caricatura de economia de mercado, em que grandes grupos cresceram por acesso privilegiado ao governo. No segundo mandato de Lula e primeiro de Dilma esse sistema foi levado às raias da loucura. Duas empresas, Odebrecht e JBS, puseram o Estado brasileiro em sua folha de pagamento. Isso foi escancarado agora”.
Ele elogiou a equipe econômica de Michel Temer:
“Foi uma bela surpresa. É gente séria, competente, e dentro das restrições e falta de legitimidade está fazendo um bom trabalho. Mas pra se recuperar a confiança, o investimento, vai ter de mudar o governo”.
E rejeitou o aumento de impostos:
“Acho é que estamos no limiar de uma revolta tributária. Já passamos em muito do limite tolerável. Precisamos é de uma reforma que busque mais equidade na tributação, isso sim”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário