terça-feira, 11 de julho de 2017

'Vai ser no grito, não tem microfone', diz Eunício ao retomar sessão

O Estado de São Paulo



Elaborada pela equipe econômica do presidente Michel Temer, a reforma trabalhista altera as relações de trabalho entre patrão e empregado. Entre as principais mudanças, está o fortalecimento dos acordos fechados diretamente entre as partes, que passam a ter prevalência sobre as determinações previstas na lei. (Fernando Nakagawa, Julia Lindner, Thiago Faria).

ACOMPANHE AO VIVO

  ATUALIZAR
  • 19h28
    11/07/2017
    Fernando Collor de Mello (PTC-AL) vota contra a aprovação da reforma trabalhista no Senado
  • 19h26
    11/07/2017
    Entre os senadores que estavam ausentes na reabertura da sessão, chegaram há pouco ao plenário os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Renan Calheiros (PMDB-AL). Neste momento, os líderes partidários continuam fazendo os encaminhamentos para votação. (Julia Lindner e Fernando Nakagawa) 
  • 19h25
    11/07/2017
    Após o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), reassumir seu lugar na mesa diretora do plenário, o quórum da sessão de votação da reforma trabalhista subiu de 50 para 77 senadores. Com esse número, o governo precisará de 39 votos favoráveis para aprovar a reforma (Julia Lindner e Fernando Nakagawa) 
  • 19h20
    11/07/2017
    Às 19h14, painel do Senado registrava quórum de 77 senadores para votação da trabalhista
  • 19h15
    11/07/2017
    Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) sobre a paralisação feita hoje mais cedo: "Esse foi o último recurso que encontramos para tentar corrigir esse projeto [da reforma trabalhista]"
  • 19h07
    11/07/2017
    Magno Malta (PR/ES): "Na marra nós tomamos o plenário. Desde o começo eu chamei a atenção da necessidade dessa reforma. Mas os arautos da civilização afirmam que nós queremos matar a população de fome. Isso não é verdade" 
  • 19h05
    11/07/2017
    Às 18h51, o painel do Senado registra 68 senadores no plenário. São necessários 35 votos favoráveis para aprovação da reforma
  • 19h02
    11/07/2017
    João Capiberibe (PSB-AP) afirma que reforma trabalhista irá derrubar o nível de consumo e a arrecadação da Previdência 
  • 19h01
    11/07/2017
    João Capiberibe (PSB-AP): "Esta reforma trabalhista não tem uma vírgula a favor do trabalhador. É uma reforma unilateral. Ela é recessiva. Será que a gente não se dá conta?" 
  • 18h58
    11/07/2017
    Benedito de Lira (PP-AL): "O que precisamos é votar em defesa dos interesses do Brasil, por isso acho que reforma deve ser aprovada, em interesse dos que estão na informalidade e não tem nenhum sindicato para defender"
  • 18h56
    11/07/2017
    Benedito de Lira (PP-AL): "Manter a CLT nos moldes atuais é egoísmo dos poucos que estão protegidos e felizes. Precisamos pensar nos mais pobres que estão fora da proteção da lei do trabalho"
  • 18h54
    11/07/2017
    Romero Jucá: "Votação da reforma trabalhista será tranquila e poderemos ter o dobro dos votos deles"
  • 18h53
    11/07/2017
    Painel do Senado registra 65 senadores no plenário
  • 18h52
    11/07/2017
    Gleisi Hoffmann (PT-PR): "Tínhamos acabado com a fome nesse país e os senhores fizeram voltar"
  • 18h51
    11/07/2017
    Gleisi Hoffmann (PT-PR): "Por que não votam aqui um tributo para lucros e dividendos? Porque vai atingir vocês"

Nenhum comentário:

Postar um comentário