segunda-feira, 10 de julho de 2017

Jornais se unem nos EUA contra duopólio de Google e Facebook

Reprodução/Minh Uong/'The New York Times'
Ilustração do 'New York Times' para notícia sobre união de veículos para negociar com Google e Facebook
Folha de São Paulo


"New York Times", com a ilustração acima, e "Wall Street Journal"adiantaram no domingo e publicam hoje que os jornais americanos vão solicitar ao Congresso o direito de negociar em conjunto com as plataformas Google e Facebook.

Ambos, mais o "Washington Post" e regionais como o "Star Tribune" de Mineápolis, farão um pedido de isenção temporária das normas antitruste, através da News Media Alliance, que representa os veículos jornalísticos impressos e digitais.

"É uma medida extrema", sublinhou no "NYT" o colunista Jim Rutenberg, ouvindo do presidente da própria NYT Company, Mark Thompson, que "a temperatura está subindo, em preocupação e em alguns casos raiva, quanto à relação assimétrica com as grandes plataformas".

No "WSJ", o presidente da NMA, David Chavern, afirmou que as duas plataformas controlam agora "mais de 70% dos US$ 73 bilhões gastos em publicidade digital" nos EUA. Mas os reguladores federais do país "evitaram tratar de sua dominação crescente" ao longo da última década, liberando aquisições como Doubleclick, AdMob e Waze (Google) e Instagram e WhatsApp (Facebook).

Rutenberg enfatizou o apoio de Rupert Murdoch, dono do "WSJ" e da Fox News, por sua proximidade com a maioria republicana no Congresso. Em nota, o grupo do magnata defendeu o esforço para "focalizar o público e o Congresso no comportamento anticoncorrencial do duopólio".

Nenhum comentário:

Postar um comentário