sábado, 22 de julho de 2017

‘Está chovendo para todo mundo’, diz Luiz Eduardo Falco, presidente da CVC

Luciana Dyniewicz - O Estado de S.Paulo



Em tempos de recessão, a CVC não tem motivos para reclamar. A empresa apresentou resultados positivos em 2015 e 2016 e, no primeiro trimestre deste ano, teve um lucro líquido de R$ 68,5 milhões, o que significa uma alta de 8,1% ante o mesmo período de 2016.

Luiz Eduardo Falco
O presidente da CVC Luiz Eduardo Falco Foto: Robson Fernandjes/Estadão
Segundo o presidente da companhia, Luiz Eduardo Falco, o setor de turismo do País se beneficia do fato de o brasileiro ter se acostumado a viajar e não querer deixar de lado o hábito. O executivo, porém, destaca que o cenário não é fácil e que é preciso adaptar os produtos para o bolso do consumidor.

Como a crise política impactou a indústria do turismo?
Não é de hoje que o Brasil vive um cenário conturbado no meio político, mas o que temos percebido, pelos últimos meses, é que os negócios reagem de forma positiva e independente. As pessoas não deixam de tirar férias para acompanhar o próximo capítulo da política. Todo mundo quer ter mais tempo para curtir a família, relaxar e dar uma pausa para a vida agitada do dia a dia.
Como a reforma trabalhista, aprovada pelo Senado na semana passada, poderá favorecer o setor?
Principalmente no quesito do fracionamento das férias, em que o trabalhador poderá dividir as férias em até três períodos. É uma boa oportunidade para o setor de viagens vender mais férias. Obviamente que o grande desafio será o de sempre: fazer com que as viagens caibam no orçamento do consumidor. Se no primeiro período de férias ele optar por viajar de avião, no segundo dá para viajar próximo de casa.
O segmento de turismo de negócios tem sofrido mais durante a recessão. Há sinais de retomada?
Está chovendo para todo mundo, então o que fazemos é olhar para o estratégico, seja para adaptar produtos para a capacidade de pagamento do cliente ou criar alternativas de viagens e financiamentos que atendam às necessidades do consumidor. Os números mais recentes do Grupo CVC, referentes ao segundo trimestre, mostram uma retomada.
Apesar do panorama econômico, a CVC tem registrado desempenho positivo. O que tem impulsionado a empresa?
No setor de lazer, um dos principais motores da retomada são as viagens internacionais – acima de 20% –, as vendas realizadas pelas franquias CVC e as aberturas de novas lojas com plano de interiorização pelo Brasil. Já no corporativo, capturamos receitas adicionais com venda de bilhetes aéreos, diárias de hospedagens e locação de carros para empresas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário