sexta-feira, 14 de julho de 2017

Dólar cai a R$ 3,19 com dado dos EUA; Bolsa tem 5ª alta seguida


  - Sanjit Das / Bloomberg

Renna Setti - O Globo


O dólar comercial cai abaixo de R$ 3,20 nesta sexta-feira, reagindo a dados sobre a inflação nos Estados Unidos. A divisa americana recua 0,49% e vale R$ 3,194 na venda. É o menor valor desde os R$ 3,13 do fechamento do dia 17 de maio, antes do site do GLOBO revelar o conteúdo da delação dos executivos da JBS e suas acusações contra o presidente Michel Temer. Na mínima, a divisa chegou a valer R$ 3,188. Na B3 (antiga Bovespa), o índice de referência Ibovespa sobe pelo quinto pregão consecutivo, avançando 0,31%, aos 65.381 pontos.

Em escala global, o dólar cai 0,57% contra uma cesta de dez moedas, segundo o índice Dollar Spot da Bloomberg. A desvalorização é ainda mais intensa frente a divisas de países emergentes ou exportadores de commodities, como África do Sul, Austrália, Rússia, Colômbia, Turquia e o próprio Brasil.

A razão para a queda do dólar é a inflação nos EUA. Segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Departamento de Trabalho, o índice de preços ao consumidor se manteve inalterado em junho, enquanto os analistas esperavam uma alta de 0,1%. A inflação acumulada nos últimos 12 meses até junho foi de 1,6%, contra expectativa de 1,7%. O número reforça a reserva que a presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) demonstrou essa semana quanto ao comportamento dos preços. Como a inflação está abaixo da meta do Fed, os investidores preveem que o BC americano vai ser mais cauteloso no aumento de juros que vem promovendo, o enfraquece o dólar.

Na agenda doméstica, o destaque é o IBC-Br, índice de atividade econômica do Banco Central que é interpretado como uma prévia do PIB. Na contramão das expectativas e de alguns sinais de recuperação do país, a economia brasileira encolheu 0,51%, em maio, nas contas do BC. Essa é a maior queda desde agosto do ano passado e o pior desempenho do IBC-Br para meses de maio desde 2015.

A frustração das expectativas fez com que os investidores passassem a acreditar na necessidade de uma redução maior de juros no país. Os juros futuros com vencimento em janeiro de 2018 cai de 8,72% para 8,69%.

Entre as ações, da Valve avança 1,19% (ON) e 1,05% (PNA). Na Petrobras, as ON caem 0,22%, enquanto as PN sobem 0,54%. O Banco do Brasil avança 0,99%, o Bradesco tem alta de 0,60%, enquanto o Itaú opera estável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário