quarta-feira, 21 de junho de 2017

Fundador da Amazon e dono do ‘Washington Post’, Bezos diz que acredita na saúde financeira dos jornais

O Globo

Fundador da Amazon e proprietário do Washington Post desde 2013, Jeff Bezos afirmou que acredita na saúde financeira dos jornais e condenou a tendência de encolhimento de alguns grupos do setor. Ele defendeu a expansão das publicações e citou a contratação de 140 novos profissionais nos últimos anos.
— (Os jornais) precisam parar de encolher. Você não pode encolher sua relevância. Você não pode encolher para chegar na lucratividade. Contratamos 140 pessoas para a redação nos últimos anos. Nós crescemos para a lucratividade — disse Bezos.
Ele se disse otimista com a perspectiva de que as pessoas paguem pelas notícias e apontou que os dados mostram que há certos tipos de notícias capazes de impulsionar mais assinaturas, como reportagens investigativas e colunas de opinião.
Para Bezos, “não é possível lutar contra o futuro” e vivemos também os ganhos da internet e a troca do modelo de negócios no jornalismo:
— Pelo antigo modelo, ganhava-se muito dinheiro em cima de uma base pequena de leitores. Com a internet, é preciso pensar numa quantidade de dinheiro pequena de uma base ampla de leitores.
Na sua avaliação, os jornais se tornarão artigo de luxo em algum momento, mas o desaparecimento vai demorar mais do que alguns acreditam. Questionado se haverá jornais em 2025, Bezos respondeu que sim:
— As coisas serão muito mais lentas do que se imagina. É uma experiência diferente. Em algum momento, será um artigo de luxo, algo exótico. Será como ter um cavalo. Hoje não se usa cavalo como meio de transporte, mas porque gosta de cavalgar.
Também no evento, John Elkann, diretor-executivo da Exor, braço de investimentos da família Agnelli (fundadora da Fiat e com negócios na áre de mídia como a revista “The Economist” e o jornal “La Stampa” — defendeu que é a lucratividade que sustenta a independência:
— Tivemos um ano de 2016 muito bom e vamos ter um bom 2017. A lucratividade é o único caminho para sustentar a independência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário