quarta-feira, 24 de maio de 2017

Anistia à quadrilha JBS pode ser comparada ao fato de Lula continuar solto, mesmo após o Mensalão e o Petrolão

Atualizado às 20h12

A anistia aos bandidos da JBS só tem paralelo no fato de Luiz Inácio Lula da Silva continuar solto, mesmo com o Mensalão e o Petrolão.

É um acinte e um incentivo ao crime.

O ensinamento de que o crime compensa.

Pobre Brasil.

Os nossos juízes, notadamente os do Supremo Tribunal Federal, cooperam com a degradação das instituições e, óbvio, do Brasil.

Nesta terça-feira, os nobres juízes do STF 'condenaram' Paulo Maluf.

Processos contra Maluf rolam há quanto tempo? Quando o ex-governador de São Paulo concorreu à Presidência da República em 1985, em eleições indiretas contra Tancredo Neves, já era uma figura carimbada, com uma folha corrida...

Agora, aos 85 anos, é condenado. É uma piada de mau gosto. Aliás, o Judiciário brasileiro é um escárnio.

Bom lembrar que o STF consegue destruir até as boas coisas que o Congresso Nacional constrói.

O Brasil tem hoje cerca de três dezenas de partidos políticos, porque o Supremo derrubou a cláusula de barreira.

Os partidos de aluguel sobrevivem com dinheiro do povo, e ainda vendem espaço na TV e apoios a governos corruptos como os de Lula, Dilma e Temer. Atestam as delações.

Sintomático que hoje quem tenta aprofundar o desmanche do Brasil, para completar o desserviço dos 13,5 anos de desatinos dos governos Lula-Dilma, sejam exatamente os puxadinhos do covil do PT, Psol, Rede, PCdoB...

Essa conta é do Supremo.

Assim como a anistia à gangue JBS e o fato de Lula continuar solto, mesmo após o Mensalão e o Petrolão.

A baderna que ocorreu hoje no Distrito Federal tem tudo a ver com a omissão e conivência do Supremo.

Lula no xadrez. Já!

Nenhum comentário:

Postar um comentário